UTILIZAÇÃO DE RESÍDUOS DA CADEIA PRODUTIVA DO PINHÃO PARA A PRODUÇÃO...


04-05-18 Sustentabilidade

Este trabalho teve como objetivo analisar a qualidade dos pellets produzidos a partir de diferentes misturas contendo madeira de Pinus e falhas de pinhão, com base nos critérios de qualidade da norma ISO 17225-2. Os materiais analisados in natura e utilizados para a produção dos pellets foram as escamas estéreis e não fertilizadas (falhas de pinhão) dos estróbilos femininos de Araucaria angustifolia, e a maravalha de Pinus spp. Os pellets foram compostos por: 100% de falha de pinhão (F100); 75% de falha e 25% de Pinus (F75P25); 50% de cada tipo de biomassa (F50P50); 25% de falha e 75% de Pinus (F25P75) e 100% de Pinus (P100). Foram analisadas as propriedades físicas, químicas e energéticas da biomassa in natura e as propriedades físicas, mecânicas e energéticas dos pellets produzidos com as misturas de biomassa. Os pellets foram classificados segundo as categorias de qualidade da norma ISO 17225-2. Os resultados demonstraram que as variações nas propriedades da biomassa in natura influenciam na qualidade dos pellets. A inclusão do Pinus reduziu a densidade a granel das misturas antes da peletização, o teor de carbono fixo, o teor de cinzas, o comprimento e a durabilidade dos pellets. Por outro lado, a inclusão do Pinus aumentou o poder calorífico superior, o teor de voláteis e o diâmetro dos pellets. Os tratamentos F75P25 e o F25P75 foram os pellets de melhor qualidade energética. Com base na norma ISO 17225-2, os pellets produzidos com misturas de Pinus e falhas de pinhão tem qualidade para uso industrial.

Baixar Artigo Completo

Vídeos

Ver Mais
  • Abertura Expoforest 2018
    Abertura Expoforest 2018
  • Forest Class Cursos Online
    Forest Class Cursos Online
  • A Tractebel Energia é a maior geradora privada de energia…
    A Tractebel Energia é a maior geradora privada de energia…
  • Produzir e comercializar produtos com alta tecnologia…
    Produzir e comercializar produtos com alta tecnologia…