Lignum Brasil e Expo Madeira & Construção superam expectativas

Lignum Brasil e Expo Madeira & Construção superam expectativas


17-03-16 Eventos

O mês de março de 2016, ficará na lembrança do setor industrial como um marco de força para o segmento madeireiro e do uso da madeira na construção civil. Mesmo em dias difíceis vividos pela economia brasileira, a Lignum Brasil e 2ª Expo Madeira & Construção, feiras realizadas nos dias 09, 10 e 11 deste mês, foram um sucesso, reunindo 5.169 visitantes, de 22 estados e 11 países. As negociações realizadas nos três dias dos eventos, geraram mais de 53 milhões de reais em vendas e prospecções. "Este valor só confirma a carência, vivida até então, de uma feira forte e o potencial do segmento", afirmou Jorge R. Malinovski, diretor geral da Lignum Brasil.

A Lignum Brasil e a 2ª Expo Madeira & Construção contaram com 71 empresas expositoras, que apresentaram máquinas e equipamentos para a transformação, beneficiamento, energia e uso da madeira, assim como as últimas tendências e soluções para a aplicação da madeira na construção civil.

De acordo com a organização, a próxima edição da Lignum Brasil e Expo Madeira & Construção está programada para em 2018.

Cerimônia de abertura.

No dia 09 de março, aconteceu a solenidade oficial de lançamento da Lignum Brasil e da 2ª Expo Madeira & Construção. Na ocasião, as falas dos representantes apresentaram as dificuldades que o setor industrial madeireiro enfrenta e apresentaram possíveis soluções para superar essa situação. O primeiro a falar foi Flavio Geraldo, presidente da ABPM (Associação Brasileira de Preservadores de Madeira). Ele destacou a importância do setor para a economia brasileira. "Ele é fundamental para a conservação ambiental e sustentabilidade, já que a madeira é um material renovável de ciclo curto", ressaltou. Flávio também falou que a SIM – Semana Internacional da Madeira acontece no momento certo e em local estratégico. "Os eventos organizados oferecem aos participantes oportunidades de troca de conhecimento técnico e científico, proporcionando também um ambiente favorável e interações comerciais em nível nacional e internacional", acredita.

Na sequência, Benno Doetzer, diretor-presidente do Instituto de Florestas do Paraná, representando Norberto Ortigara, secretário da Agricultura e do Abastecimento do Estado do Paraná, ressaltou a importância das florestas plantadas para o Estado e como eventos sobre madeira são importantes. Ele afirmou que o Estado busca constantemente realizar políticas para o desenvolvimento do setor. "Eventos como a Lignum Brasil incentivam o fortalecimento do setor madeireiro. É um prazer fazer parte desse projeto", afirmou.

A ABIMAQ (Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos) estava representada por Marcos Müller, presidente da Câmara Setorial de Máquinas para Madeira. Para Müller, a Lignum Brasil é uma excelente oportunidade para a realização de negócios e para fomentar o desenvolvimento tecnológico das empresas nacionais. "O Brasil está em um nível bastante avançado no quesito florestal e nos produtos madeirados exportados, mas as indústrias ainda estão carentes de tecnologia. A Lignum Brasil acontece justamente para sanar essa lacuna", destacou.

Paulo Pupo, vice-presidente da FIEP (Federação das Indústrias do Estado do Paraná) e superintendente da ABIMCI (Associação Brasileira da Indústria da Madeira Processada Mecanicamente), reconheceu que o cenário econômico brasileiro está ruim, mas que existem formas de superar essa situação, um exemplo, é a exportação e o fortalecimento do setor. "Parabenizo a organização pela iniciativa, o setor industrial madeireiro precisa se unir para avançar e se consolidar como fundamental para a economia brasileira."

A APRE (Associação Paranaense de Empresas de Base Florestal), realizadora da 2ª Expo Madeira & Construção, também estava presente por meio de seu diretor-executivo Carlos Mendes. Ele destacou que o evento tem como objetivo mostrar as boas práticas para o uso da madeira em construções sustentáveis. Afinal, a madeira proveniente de florestas plantadas é sustentável, renovável e tem uma beleza incomparável.

Finalizando, Jorge Malinovski, diretor geral da Lignum Brasil, agradeceu as associações parceiras e ressaltou que as feiras têm como principal meta apresentar para os profissionais do setor as tecnologias que estão disponíveis no mercado, gerar network e, negócios.

Associações apoiadoras das feiras também estiveram presentes durante os três dias do evento. Uma delas foi a ACR (Associação Catarinense de Empresas Florestais), que acreditou na força e importância das feiras desde o início. "Realmente o setor estava deficitário de uma feira neste estilo, que há anos não acontecia. A Lignum Brasil veio para sacramentar a indústria de máquinas e tende a evoluir e crescer a cada edição. Ao caminhar pelos corredores, percebemos a presença de vários associados se fazendo presente e buscando atualização", afirmou Mauro Murara, diretor-executivo da associação.

Confira os produtos e serviços apresentados por algumas das empresas expositoras da Lignum Brasil e 2ª Expo Madeira & Construção:

Bruno Industrial.

A Bruno Industrial participou da Lignum Brasil em dois espaços. Um voltado ao atendimento dos clientes e outro os visitantes puderam acompanhar o picador Forest King em operação. Em horários determinados, os visitantes puderam ver a máquina em funcionamento e avaliar a qualidade do cavaco produzido. O Forest King tem sistema elétrico computadorizado de grau militar que controla e supervisiona todas as funções do equipamento, além de radiador superdimensionado que permite a operação em diversas regiões e sob severas condições, sistema Clean Fix e controles de alimentação e velocidade eletrônicos. "Além de ser uma das nossas maiores máquinas, o Forest King é nosso carro chefe de vendas", salientou Mark Andrey, gerente de vendas da Bruno Industrial.

AWK.

Outro equipamento em demonstração foi o Pregador One, um sistema de montagem de paletes da AWK Indústria de Máquinas. "Com apenas um operador ele pode produzir 60 paletes por hora", explica Celso Negri, coordenador de marketing da AWK. A máquina tem capacidade de carga de 1.500 kg, utiliza pregos H/2" a 3-1/4” e tem controle automático programável, o que maximiza a produtividade e a segurança.

SERF.

Além das máquinas e produtos, foi apresentado um novo conceito de operação e gestão de secagem e eficiência energética de estufas convencionais, que por meio de um sistema de monitoramento, recupera parte da energia perdida na produção industrial apresentado pela SERF Drytech. "Nossa meta é reduzir consumo de vapor das estufas, consumo de energia elétrica e, consequentemente, aumentar a capacidade produtiva dos clientes, possibilitando menores custos no processo", explicou Gabriel Marques, sócio e engenheiro de projetos da SERF.

ABIMCI.

Paulo Pupo, superintendente da ABIMCI, acredita que a Lignum Brasil e a 2ª Expo Madeira & Construção fazem parte de um movimento positivo que aconteceu e com o objetivo de proporcionar o encontro de profissionais, que por vários motivos, não se reúnem com frequência. "Essa união proporciona o desenvolvimento do setor madeireiro e a avaliação crítica do momento enfrentado. Diferente da paralisia política, o setor precisa encontrar soluções mercadológicas, com prospecção de novos produtos e mercados. A grande conquista foi reunir os empresários para repensar e readequar o setor", afirmou.

A ABIMCI contou com um estande institucional para mostrar aos visitantes as atividades realizadas pela associação. "Trouxemos nossos associados para Curitiba, inclusive com uma reunião realizada aqui. Um dos nossos comitês, o do paricá, também participou da feira mostrando suas ações", contou Pupo.

SCM Tecmatic.

Um dos destaques da Lignum Brasil foi o Centro de Usinagem CNC da SCM Tecmatic. A máquina, que estava em demonstração, é lançamento no mercado. Ela é composta por cinco eixos que possibilitam diversas características de produção e qualidade de acabamento. Marcos Müller, diretor-executivo da empresa, destaca que a tecnologia é toda nacional, e a máquina é a única desse estilo produzida no Brasil. A Tecmatic também apresentou uma lixadeira e uma esquadrejadeira.

Vantec.

Outro lançamento apresentado foi a empilhadeira EI 2500 para movimentação de madeira da Vantec. Diógenes Lucion, supervisor comercial da empresa, explica que o equipamento tem tração 4×2, transmissão hidráulica, acionamento de elevação e inclinação por joystick e sistema de bloqueio exclusivo. A empresa também colocou em exposição um picador fixo para produção média de 70 m³ de madeira por hora.

Solidda Energia.

Voltado para o segmento energético, a Solidda Energia apresentou um sistema inédito de geração de energia de baixa potência para o setor madeireiro. Em exposição estava um skid de geração termoelétrica composto por turbina, redutor, gerador, condensador, sistema de óleo e vácuo, painéis de automação, skid microturbina, torres de resfriamento, caldeira, entre outros. Rodrigo Duarte, diretor da empresa, conta que o sistema é entregue ao cliente testado e pronto para implantação. "Esse skid possibilita ao empresário se tornar autoprodutor de energia elétrica e, assim, reduzir custos significativamente na produção e no produto final", afirma.

Tajfun.

A Tajfun apresentou um guincho florestal, uma processadora para lenhas e uma grua para conexão em terceiro ponto de trator. A ideia desses três equipamentos é a intercambialidade. A Tajfun tem a filosofia de trabalhar com o pequeno produtor, permitindo que ele, com apenas um trator e operador, consiga fazer várias operações. Em funcionamento, estava a processadora para lenha. "O conceito de venda de lenha ainda não está muito claro no Brasil, por mais que o mercado exista e seja necessário, os produtores ainda não entenderam o potencial de agregar valor ao produto, processando as árvores e gerando lenha para energia", explica Marlos Schmidt, diretor da Tajfun.

Dallabona Máquinas.

A Dallabona Máquinas mostrou aos visitantes da Lignum Brasil uma destopadeira automática com avanço para destopo de madeira serrada, que proporciona, em um mesmo pacote, várias medidas com um comando de CLP (Comando Lógico Programável). "Pode-se abastecer a máquina com um pacote de até 600 mm de largura por 150 mm de altura, digitar o tamanho desejado e ela automaticamente faz o trabalho", explicou Everton Ewald, gerente de vendas da empresa. Esta máquina atende as empresas fabricantes de embalagens, cama box e paletes.

Mill Indústrias.

Entre as máquinas apresentadas pela Mill, os destaques foram a Afiadeira de Serra, feita com rebolo diamantado/borazón, que proporciona afiações com durabilidade e rapidez. De acordo com José Carlos Ledar, diretor de vendas, ela copia o formato original dos dentes para que o cliente tenha sempre a serra com potência e precisão de uma nova. A Mill também fez um lançamento da Lignum Brasil, um medidor de trava para calibrar a trava da serra, porque além da afiação correta, também é necessário que a trava esteja calibrada corretamente.

Engecass.

Os visitantes puderam conhecer um secador de madeira e uma caldeira flamotubular da Engecass com grelha móvel. De acordo com Jakson Fabiani, gerente comercial vapor da empresa, o equipamento permite queimar cavaco, serragem, maravalha e biomassa com alto teor de umidade. "O sistema de grelha possui movimentos alternados que propiciam diferentes etapas na combustão, como secagem, gaseificação, combustão e resfriamento. O projeto dispensa a necessidade de fosso e todos os refratários já estão incorporados no equipamento", detalhou.

Omil.

O público da Lignum Brasil pôde conhecer duas plainas moldureiras, versão quatro e cinco eixos, com novo design de carenagem e painel elétrico de proteção, cabine de proteção contra acidentes, com chave de intertravamento e sensores na carenagem da Omil. "Também apresentamos duas tupias adequadas a NR12 – Segurança do Trabalho em Máquinas e Equipamentos", contou Márcio Arns, gerente comercial.

Razi/Alca Máquinas.

A Alca Máquinas, em parceria com a Razi, colocou em exposição máquinas para a transformação e primeiro beneficiamento de madeira maciça. Entre eles, Eduardo Rechenberg, gerente comercial da Alca Máquinas, ressaltou as plainas moldureiras, plainas desengroçadeiras dupla face, serras múltiplas, lixadeiras banda larga, centros de usinagem, entre outros equipamentos que complementam essa linha.

Pallmann.

Com tecnologia alemã, a Pallmann mostrou aos visitantes, de forma institucional, máquinas e equipamentos madeireiros. Thiago Kuratani, vendedor técnico da Pallmann, conta que, para a área de madeira, a empresa produz desde o descascamento da tora, até a preparação da madeira para cavaco e pó de madeira para a indústria de MDF, MDP e serraria, como também picadores para a produção de cavaco e moinhos para pó de madeira.

Andritz.

Especializada em montar linhas de peletização, a Andritz Feed & Biofuel contou com um estande institucional para mostrar o conceito de produção de pellets para o mercado brasileiro. Com tecnologia europeia, a empresa apresentou soluções para a estruturação de linhas de produção de pellets. "Apresentando projetos já realizados e de sucesso, para que os visitantes possam conhecer nosso trabalho", contou André Alves Tamaki, engenheiro de vendas da Andritz F&B.

Metalúrgica Turbina.

Um carro porta-toras foi o destaque da Metalúrgica Turbina na Lignum Brasil, devido a sua estrutura reforçada e varandas construídas no formato tubular em chapa de aço. O equipamento conta com sistema de bitola eletrônica, rodado reforçado com rolamento e eixo curto para cada roda. Além disto, tem piso antiderrapante em toda extensão do chassi sendo cada garra acoplada no interior das varandas. Outros diferenciais do equipamento são: o sistema pneumático nas janelas e nos batentes embutidos no interior das varandas, garras pneumáticas com regulagem de diâmetro de tora, vácuo pneumático, acionamento das varandas através de engrenagem de corrente dupla, com virador de toras acionado por unidade hidráulica. Sigmar Sá, diretor executivo da Metalúrgica Turbina, explicou que o processo de manutenção é simples e proporciona mais agilidade e um período menor de parada.

Matalcava.

A empresa mostrou ao público da Lignum Brasil um picador com sistema de faca que possibilita a extração e facilita a regulagem ou troca e uma refiladeira. Mas Charles Cava, diretor da empresa, afirma que o maior objetivo da Metalcava na feira foi conversar com os clientes para saber o que o mercado acredita que deve ser melhorado ou desenvolvido para as novas linhas de produtos.

Indumec.

Com objetivo em apresentar as adaptações às normas e regulamentações para a segurança do operador, a Indumec apresentou aos visitantes uma passadeira de cola adaptada a NR12 – Segurança do Trabalho em Máquinas e Equipamentos. "A exposição do equipamento permitiu que nossos clientes pudessem visualizar as alterações realizadas", informou Anne Marie Koller, diretora da empresa.

Timber Forest.

Com foco na primeira fase da cadeia produtiva da madeira, Claumar Baldissera, coordenador de vendas da Timber Forest contou que a empresa apresentou aos visitantes o Forwarder Buffalo King, da Ponsse; o cabeçote Logmax 5000D; e o cabeçote Ponsse H6.

Palfinger.

Em seu estande, a Palfinger apresentou dois modelos de guindaste, o florestal Epsilon C80Z, com fechamento canivete e o PKK12500, que é destinado para içar materiais em serrarias. A Palfinger também esteve presente no estande da Bruno Industrial, participando da demonstração, fazendo o abastecimento do picador Forest King.

Agência da Madeira.

Com o objetivo de promover o cluster florestal industrial da região dos Campos Gerais do Paraná, a Agência da Madeira esteve presente da 2ª Expo Madeira & Construção. Manoel Francisco Moreira, diretor executivo da Agência da Madeira, acredita que a visibilidade da feira, inclusive de forma internacional, proporcionou à região oportunidades de novos negócios. "O objetivo principal foi fazer contatos e colocar a marca da Agência em evidência. Conseguimos iniciar novas parcerias que irão contribuir para o desenvolvimento do setor madeireiro", afirmou Chico Moreira, como é conhecido no setor.

Lonza/CM Venturoli.

Flavio Geraldo, gerente de mercado da Lonza, contou que o estande da empresa apresentou os produtos para tratamento de madeira que estão presentes no Brasil e possibilitam ao mercado utilizar pinus e eucalipto tratado, o que torna a madeira durável e forte para a utilização na construção civil. "Nosso foco foi mostrar a segurança, qualidade e durabilidade, além do baixo custo da madeira tratada com CCA e Cobre Azoles", conta Flavio. Aliado a isso, o compartilhamento do estande com a CM Venturoli destacou as possibilidades construtivas que a madeira cultivada tratada oferece, considerando aspectos como versatilidade e beleza.

Montana Química.

A Montana Química apresentou o lançamento do Osmoguard FR100, um retardante de chamas com índice de eficiência que coloca a madeira como elemento construtivo, de fato, sustentável e seguro. O produto atende as demandas da engenharia e da arquitetura, possibilitando projetos estruturais, de elementos de acabamento ou decorativos em madeira, com respostas para novos quesitos de segurança aos usuários da construção e para as exigências legais relacionadas à proteção ao fogo.

Carpinteria.

A Carpinteria, em parceria com Rewood e Terra Sol e apoio da Montana Química, apresentou aos visitantes da 2ª Expo Madeira & Construção uma das primeiras vigas de MLC (Madeira Laminada Colada) do Brasil em pinus tratado. Alan Dias, diretor da empresa, conta que para conseguir o efeito final foi preciso fazer duas colagens, primeiro em eixo Y e depois em eixo Z. "Isso proporciona a dupla curvatura". De acordo com Alan, o conceito de todo o estande da Carpinteria foi mostrar todas as possibilidades para se trabalhar com madeira, que ela não precisa ser pensada somente em peças retas e que é possível curvar a madeira e lhe dar a forma desejada. "É o único material que tem forma livre, por ser uma matéria orgânica", ressaltou.

TWBrazil.

O Gluelam foi o lançamento da TWBrasil, uma viga de madeira laminada, um produto que já é bastante utilizado na Europa, mas ainda pouco aplicado as obras brasileiras. "Ele é versátil, fabricado a partir de madeira tratada de pinus, recomposta, para uso estrutural interno e externo. Esse produto é fruto de um consórcio entre a TWBrazil e a EcoBoing", contou Leonardo Puppi Bernardi, proprietário da empresa. Outro produto apresentado foi um mosaico para revestimento de madeira em teca.

Simonin.

Com tecnologia italiana, a Simonin apresentou na 2ª Expo Madeira & Construção o que pode ser feito em madeira, desde a estrutura, como painéis estruturais, até os componentes da construção civil. "Também mostramos ao público algumas de nossas últimas obras, como o Pavilhão da França na Expo Milão 2015, que tem três andares, 3.500 m² e mais de 1.500 m³ de madeira laminada colada", contou Gustavo Lozano Côrtes, diretor técnico da Simonin Brasil.

Araupel.

A empresa levou para a 2ª Expo Madeira & Construção amostras de molduras tipo finger joint de pinus e de acabamento. Voltada para o mercado internacional de exportação, a Araupel também apresentou sua estrutura verticalizada, que vai desde o plantio florestal até a entrega do produto final para o cliente.

Berneck.

Com foco na produção verticalizada, a Berneck apresentou produtos serrados, MDF e MDP feitos em madeira de pinus. Além de mostrar seu portfólio, a empresa também apresentou toda a sua área de atuação, desde a produção de mudas, florestas plantadas, sistemas de colheita, até o produto final.

RothoBlaas.

A empresa italiana que trabalha com sistemas se fixação para construções em madeira apresentou aos visitantes uma linha completa de parafusos e fixadores com tecnologia específica para madeira. Christian Lugarini, diretor da RothoBlaas, explicou que o mercado brasileiro ainda não utiliza materiais específicos para a construção em madeira e ainda faz a adaptação de parafusos feitos para outros materiais. Por esse motivo, expôs uma linha de parafusos feitos especialmente em madeira, como exemplo os parafusos que não necessitam furo prévio.

Madvei.

Decks, mourões, dormentes, pergolados e madeira em pinus e eucalipto para a construção civil foram os produtos apresentados pela Madvei, na 2ª Expo Madeira & Construção. Como destaque, estavam os decks de pinus e eucalipto com características antiderrapantes, de alta durabilidade e resistência à umidade e à insolação.

JL Estruturas.

A versatilidade da madeira foi apresentada pela JL Estruturas. A empresa mostrou para os visitantes, principalmente, estruturas para telhados, soluções construtivas e canteiros de obras. O destaque foi para a possibilidade de reaproveitamento dos canteiros, que não precisam ser descartados no primeiro uso e podem ser reutilizados em outras obras ou serem aplicados a outras finalidades. A JL Estruturas tem como principal característica o uso de conectores metálicos da Gang Nail do Brasil.

Malinovski Eventos

CONFIRA TAMBÉM...


ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Ver Mais

Vídeos

Ver Mais
  • Abertura Expoforest 2018
    Abertura Expoforest 2018
  • Forest Class Cursos Online
    Forest Class Cursos Online
  • A Tractebel Energia é a maior geradora privada de energia…
    A Tractebel Energia é a maior geradora privada de energia…
  • Produzir e comercializar produtos com alta tecnologia…
    Produzir e comercializar produtos com alta tecnologia…